Forum dedicado aos PBFs (Play By Forum) que consiste em jogar RPG via fóruns - Logo por Rafael Capella
 
InícioPortalCalendárioFAQBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

 Histórias e Imagens dos Personagens

Ir em baixo 
AutorMensagem
Katsumi Liqueur
Meio Dragão
Meio Dragão
avatar

Número de Mensagens : 410
Idade : 29
Localização : Aqui! o/
Data de inscrição : 21/04/2009

MensagemAssunto: Histórias e Imagens dos Personagens   Sex Abr 24, 2009 10:52 pm

Uhn... Auto-explicativo, xD

_________________
ESTOU SEM COMPUTADOR E COM A CASA EM OBRA, POR ISSO A DEMORA. ¬¬'

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Camilo
Meio Dragão
Meio Dragão
avatar

Número de Mensagens : 485
Idade : 30
Localização : Rio de Janeiro
Data de inscrição : 08/12/2008

MensagemAssunto: Re: Histórias e Imagens dos Personagens   Sex Abr 24, 2009 10:58 pm




Albert nesceu em uma pequena tribo, que se localizava em um continente dividido entre uma parte de vegetação densa, uma área árida. A tribo lutava dia-a-dia por sua sobrevivência naquele local hostil. O continete inteiro era habitado por criaturas monstruosas e, na maioria, ferozes predadores. Haviam monstros gigantescos como dinossauros que caçavam insessantemente por comida. E de tempos em tempos todo o continente se cobria de uma espessa camada de neve que congelava qualquer ser despreparado. A tribo era frequentemente atacada e todos precisavam viver cautelosos e prontos para fugir a qualquer sinal de perigo. Além de estar bem protegidos contra o frio do inverno. A sobrevivência da tribo se deu assim por décadas.

No mês do nascimento de Albert a região que se entendia pela área da tribo foi colorida pelo surgimento de flores nunca vistas antes. Elas brotavam de qualquer pedaço de terra e seus botões floresciam em alguns minutos, dando frutos em poucos dias. O acontecimento foi tido como um milagre divino, e desde então a tribo passou a venerar a natureza pela sua dádiva.

Mas a paz não veio e a tribo continuava sendo atacada. O garoto havia crescido nesse ambiente mas nunca esteve satisfeito com a injustiça que seu povo sofria. Mas quando atingiu a idade para se tornar um homem, Albert que já alcançava sua altura atual e já tinha o apelido de gigante, recebeu uma mensagem de sua divindade que veio em seu sonho em forma de um lobo. Ela disse:

- Tua raça deve sobrepuljar as demais.

Confuso ele argumenta:

- Mas como se tu não nos da a força necessária?

O lobo aproxima-se dele e fala:

- Apenas crê no poder da natureza, e assim, através de ti, eu farei a minha vontade.

Após esta revelação Albert comunicou sua visão a tribo, mas eles não acreditaram em suas palavras e então ele se reclusou em uma caverna. Lá passou três longos anos, vivendo em união à natureza, para que pudesse entendê-la ao máximo. Passou por muita privação e teve sua mente e corpo testados diáriamente. Até que decidiu regressar a sua tribo.

Lá ele já era conciderado morto, e todos se surpreenderam ao encontrar o jovem "gigante" novamente. Dessa vez duas vezes maior, porém em largura, ele tinha desemvolvido uma maça corpórea inimaginável para o povo daquela tribo. Sua expressão era de impor medo e respeito. E dessa vez ele pode mostrar a todos da tribo o que havia dito antes, ele fizera pequenas plantações crescer, curou enfermos e até seu poder destrutivo ele os mostrou. E assim ele logo foi eleito o líder da tribo, por unanimidade. Anos se passaram e a tribo pode se desemvolver melhor tendo um poderoso líder com eles. Albert passou seus encinamentos a jovens e logo todos estava protegidos e podiam agora viver em paz.

Mas o que Albert não pode prever foi o fato que provocou a fúria de uma antiga criatura daquela região, que até então parecia adormecida. Defendendo a tribo Albert matou um réptil voador que cospia ácido, e também pediu que o fizessem uma armadura com o couro dessa criatura. Meses depois um ser semelhante ao anterior, porém com quase três vezes o tamanho do anterior, atacou a tribo reduzindo-a quase a metade. Albert deveria por um fim nisso, então ele foi atrás da criatura. Albert enfrentava a pior batalha de sua vida, o ser era inteligente e muito poderoso. Mas ele tinha convicção de que a natureza estava ao seu lado e não parou nem por um instante. Após ter sofrido muitos ataques, embora já tivesse causado grandes ferimentos ao seu adversário, Albert vê que sua derrota é inevitável. Mas ele tinha que proteger dua vila, e então tomou uma atitude suicida. Ele provocou a besta pra que o engulisse e assim ela o fez. Dentro da criatura Albert não respirava e queimava a cada segundo com seu ácido, mas com um último esforço ele atravessa os órgãos vitais da criatura com sua cimitarra, fazendo-a tombar, mas não sendo suficiente para salvar sua própria vida...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Sherikhan
T-Rex
T-Rex
avatar

Número de Mensagens : 156
Idade : 32
Data de inscrição : 22/04/2009

MensagemAssunto: Re: Histórias e Imagens dos Personagens   Seg Abr 27, 2009 4:34 pm



CIROK NASCEU EM BERÇO DE OURO, FILHO DE NOBRES DE UMA GRANDE CIDADE. TEVE DE TUDO, DO BOM E DO MELHOR, E FOI MANDADO POR SEU PAI PARA ESTUDAR EM UM GRANDE TEMPLO DA CIDADE, ONDE ELE SABIA QUE CIROK RECEBERIA BOA EDUCAÇÃO COMO TODOS DE SUA FAMÍLIA TEVE.
LÁ, CIROK DESCOBRIU QUE ERA UM TEMPLO DEDICADO AO DEUS DA MORTE KELEMVOR. O clero da morte como eles são conhecidos tem muitos deveres, a maioria envolve cuidar dos últimos desejos daquele que está morrendo e provê serviços de enterro a esses que morrem só. Eles também tem a intenção de curar doenças e defender as pessoas de monstros de forma que não morram antes de seu tempo. A última e mais importante tarefa deles é a destruição de mortos-vivos em todas suas várias formas como é uma afronta a Kelemvor. Clérigos de elite de Kelemvor são conhecidos como Doomguides. E ISSO HAVIA DEIXADO CIROK INTRIGADO E INTERESSADO NESSES DOGMAS, POIS ELE SEMPRE TEVE UMA VISÃO DIFERENTE DE VIDA E MORTE QUE QUALQUER OUTRA PESSOA TINHA. OS SEUS TUTORES RAPIDAMENTE PERCEBARAM ESSA VISÃO QUE CIROK TINHA DA MORTE E CHAMARAM ISSO DE DOM.
CIROK RECEBERA TODO CONHECIMENTO E TREINAMENTO QUE UM SERVO DE KELEMVOR DEVERIA TER E MAIS O SENSO DE DEVER QUE ELES TINHAM COM OS MORTOS E COM OS VIVOS. ELE DEVERIA LEVAR DESCANSO AOS QUE JÁ MORRERAM E TAMBÉM DEVERIA APAZIGUAR O SOFRIMENTO DOS FAMILIARES DOS QUE DEIXAVAM ESSE MUNDO.
POR ISSO QUALQUER UM TRAZIA OS MORTOS DE NOVO A VIDA ERA CONSIDERADO UMA AFRONTA A KELEMVOR E DEVERIA SER DESTRUÍDO E OS MORTOS DEVERIAM VOLTAR AS SUAS TUMBAS PARA SEU DESCANSO ETERNO. E CIROK ERA BOM NISSO, EM POUCO TEMPO ELE JÁ PERTENCIA A ELITE, ELE ERA UM DOOMGUIDE E LEVAVA A JUSTIÇA DE KELEMVOR PARA OS VIVOS E TAMBÉM PARA OS MORTOS, COMO ELE MESMO DIZIA: “EU SOU A LEI E O ÚNICO QUE PODE ME PROÍBIR DE FAZER QUALQUER COISA É KELEMVOR!”
ASSIM SUA FAMA SE ESPALHOU, ELE NÃO ERA MUITO QUERIDOMAS MESMO ASSIM AS PESSOAS O PROCURAVAM QUANDO OS MORTOS VOLTAVAM A CAMINHAR ENTRE OS VIVOS.
E FOI ISSO QUE O LEVOU PARA MORTE! ELE FORA CHAMADO POR CIDADÃOS DE UMA CIDADE VIZINHA QUE DIZIAM ESTAR SOB A AMEAÇA DE UMA ENTIDADE MALIGNA QUE TINHA O CONTROLE SOBRE UM EXÉRCITO DE MORTOS-VIVOS. CIROK SAIU DA IGREJA IMEDIATAMENTE COM UM PUNHADO DE CLÉRIGOS INICIANTES E MAIS ALGUNS DOS CIDADÃOS QUE PEDIRAM PELA SUA AJUDA.
A CIDADE HAVIA SIDO DEVASTADA,CASAS FORAM QUEIMADAS, ANIMAIS MORTOS....MAS UMA COISA INTRIGAVA CIROK, ELE NÃO VIA CORPOS HUMANOS. ELE E SEU PEQUENO GRUPO PROCURARAM PELA CIDADE MAS NADA ACHARAM,NENHUM CORPO SE QUER!
AQUILO TUDO ERA MUITO ESTRANHO...MAIS ESTRANHO AINDA FOI QUANDO ELES AVISTARAM AQUELA FIGURA ESQUÁLIDA E PÁLIDA COM SEU MANTO RASGADO ERGUENDO AQUELE CETRO DE MADEIRA RETORCIDA QUE TERMINAVA NUMA PEDRA VERMELHA QUE BRILHAVA ESPALHANDO AQUELA LUZ FANTASMAGÓRICA PELA CIDADE, ERA UM LICH. ASSIM QUE A LUZ SE APAGA ELES ESCUTAM GRUNHIDOS E VOZES SOFRIDAS,ERAM OS MORTOS QUE MAIS UMA VEZ SE LEVANTAVAM.
OS HOMENS QUE OS TINHAM LEVADO PARA A CIDADE JÁ ESTAVAM EM DEBANDADA, RESTOU APENAS CIROK E MEIA DÚZIA DE CLÉRIGOS DE KELEMVOR. CABIA A ELES LEVAR PAZ PARA AQUELAS ALMAS E DESTRUIÇÃO PARA AQUELE MONSTRO. MAS AQUELE ERA UM LICH PODEROSO E ELE NÃO COMANDAVA APENAS ZUMBIS MAS TINHA TODO TIPO DE CRIATURA SÓRDIDA AO SEU DISPOR COMO VAMPIROS E ESQUELETOS.
CIROK FAZ SUA ÚLTIMA PRECE AO DEUS DA MORTE SEGURANDO SEU PINGENTE COM O SÍMBOLO DE KELEMVOR E PARTE PARA SUA ÚLTIMA MISSÃO, ASSIM ELE PESAVA.
SEU GRANDE MARTELO LEVOU A PAZ PARA MUITOS MORTOS ASSIM COMO SUAS MAGIAS, MAS ELE E SEU GRUPO ESTAVA EM MENOR NÚMERO....LOGO RESTAVA APENAS CIROK DE PÉ.
ELE ESTAVA CERCADO MAS NÃO SE ENTREGARIA FACILMENTE PARA OS MALDITOS, ATÉ QUE ENTÃO OS MORTOS ABRIAM ESPAÇO PARA O LICH PASSAR –“VOCÊ É MEU SERVO DO DEUS DA MORTE!” – DIZIA O LICH. CIROK SE CONCENTRA E USA O PODER DE SUA FÉ PARA TENTAR EXPULSAR O LICH E SEUS SERVOS DECADENTES, MAS ELE NÃO CONSEGUE...O LICH APENAS RI DA TENTATIVA DESESPERADA DE CIROK, O LICH AINDA SORRIDENTE APONTA SEU CETRO PARA O CLÉRIGO E DELE O LICH LANÇA UM PODEROSO RAIO QUE PEGA EM CHEIO CIROK QUE CAI NO CHÃO GRAVEMENTE FERIDO. CIROK PEGA SEU PINGENTE E APERTA ELE CONTRA SEU PEITO E FAZ UMA PRECE EM VOZ BAIXA, O LICH APENAS SORRI E SACA SUA ADAGA, ELE SE ABAIXA PARA FICAR BEM PRÓXIMO DE CIROK E AINDA SORRINDO DIZ : “VOCÊ SERÁ MEU!” E APÓS DIZER ISSO ELE CORTA A GARGANTA DE CIROK.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Falk
Deus Dragão
Deus Dragão
avatar

Número de Mensagens : 1207
Interesses : Assistir animes, Jogar RPG, Ouvir Metal e Digitar Histórias
Data de inscrição : 08/12/2008

MensagemAssunto: Re: Histórias e Imagens dos Personagens   Ter Abr 28, 2009 2:30 pm



Penelope não se recorda de sua infância, mas se isso aconteceu é porque nada de interessante aconteceu, e seria desnecessário gastar memória com recordações inúteis, a última lembrança que teve foi quando largou aquela vidinha miserável de garçonete para seguir uma trupe de músicos, afinal sempre disseram que ela tinha uma voz bonita, não seria nada mal viver viajando por aí e se apresentando para platéia entediadas. Além de ter uma voz bonita ela tinha um rosto adorável, não foi dificil ser aceita.
Porém bem no início de seu treinamento ela começou a ter pesadelos detestáveis, coisas sem explicação, dignas de histórias de terror banhadas a muito sangue e sofrimento, no início achou que estava tomando muito açucar antes de dormir, mas mesmo parando com este costume os pesadelos ficavam cada vez mais constantes, longos e pesados, certas vezes tinha sensações de seus pesadelos durarem dias ou mais, tão realistas que quando acordava sentia dores nos locais que se feria no mundo dos sonhos, mesmo que olhando não visse nada. Tentou buscar ajuda, mas ninguem podia ajuda-la, e deste modo foi ficando com medo de dormir, passando dias em claro, para que quando desmaiasse de sono os pesadelos fossem piores ainda.
Passou quase que sua adolescencia inteira nesse sofrimento, e é claro que isso deixou sequelas, uma série de distúrbios mentais como: perder subitamente a motivação para viver, crises de riso ou choro histérico, paranóia, esquizofrenia moderada e certas vezes até mudanças bruscas de personalidade, a sua "arte" que antes enchia o coração das pessoas de esperança e motivação, agora eram pesadas e tenebrosas, musicas que traziam medo e confusão, seu comportamento foi ficando cada vez menos aceitável e como resultado acabou sendo expulsa da trupe de bardos que participava, um sério golpe para sua mente conturbada, ficou alguns dias vagando sem rumo e totalmente aérea, mas foi quando surgiu Sneils, era apenas produto de sua imaginação, ele vinha na forma de um velhinho com uma longa barba branca, o amigo imaginário disse que ela não estava louca, as pessoas que não entendiam o seu dom, tudo o que ela vivia em sonhos era real, quando dormia, sua alma era transportada para um mundo diferente, um mundo que escondia as verdades por detrás de todos os segredos da humanidade, ela era a escolhida para desvendar todos estes mistérios, e que ela não deveria desconsiderar nem um misério sinal que via, tudo o que ela via, por mais que parecesse delírio era uma manisfestação da realidade para a escolhida, pessoas comuns não podiam ver. Sneils então tornou-se uma espécie de mentor para Penelope, mas que só aparecia quando "queria", dizia coisas não muito claras e sumia (estilo mestre dos magos), a partir deste dia, Penelope desenvolveu uma compulsão por descobertas, investigava tudo o que sua mente doentia levava a crer ser pista do tal mundo dos sonhos, e dormir agora já não era tão assustador, afinal eram chances para descobrir as verdades do mundo. Só que em seu último sonho, a aventura começou.

_________________
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://lizardslairrpg.forumeiros.com
Randur
T-Rex
T-Rex
avatar

Número de Mensagens : 352
Idade : 31
Localização : Rio de Janeiro, Realengo
Data de inscrição : 16/12/2008

MensagemAssunto: Re: Histórias e Imagens dos Personagens   Qua Abr 29, 2009 12:07 am



Deftz costumava ser um garoto comum de uma pequena cidade de uma terra gelada. Os acontecimentos que se passaram no tempo em que ele era vivo o levaram a se aventurar pelo mundo, junto com outras pessoas. Uma dessas pessoas era Estev Aramil Wolf “Bacana”, um monge amigável no início. Deftz, Estev e outros andavam juntos, pois haviam sido contratados para resolver um certo problema em uma terra próxima. Uma coisa levou a outra, e o grupo teve mais aventuras do que esperava. Mais tarde, de passagem por sua terra natal, Deftz descobriu que seus poderes descendiam de um antigo dragão branco que já havia morrido há décadas.
O grupo continuou viajando pelo mundo, conseguindo a gratidão de muitas pessoas, importantes e humildes. A visão de riquezas, fama e glória mexeu com o coração de Estev, que se deixou corromper pela ganância, pela inveja e pelo ódio. Quando o mundo dependia de suas palavras e ações, e com Deftz e os outros nocauteados no chão, Estev preferiu adquirir poder insuperável, mas por bem pouco ele não se esqueceu da missão da equipe e resolveu o problema com a última opção que ele ainda não havia usado para si próprio.
A partir de então, Deftz continuou viajando com o agora tirano e sanguinário Estev, que, não satisfeito em ter todo aquele poder, ainda cobiçou a amada de Deftz, a druida Nila e a possuiu. Inevitavelmente, Estev acabaria sendo questionado pelo feiticeiro. E assim foi...Deftz foi morto por Estev, arremessado de centenas de metros de altura em uma planície gelada; seu sangue manchando a neve de vermelho. Enquanto caía um sentimento de impotência e desespero o invadiu. E agora ele está em um lugar em que não esperava estar quando morresse.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Ireth Shag
Kobold
Kobold
avatar

Número de Mensagens : 17
Data de inscrição : 28/04/2009

MensagemAssunto: Re: Histórias e Imagens dos Personagens   Qua Abr 29, 2009 7:24 pm



Ireth morava com a mãe numa pequena cidade que sitiava um famoso templo de Obad-Hai. Seu pai era clérigo de tal divindade e estava sempre em viagens fazendo algum tipo de missão para o templo. Pai e filha não tinham nenhum tipo de relação até serem forçados a tê-la, após a morte da mãe de Ireth durante uma viagem a outra cidade.

Rusty não abandonou suas missões, mas começou a levar a filha com ele, deixando-a em hospedarias e tavernas enquanto ia trabalhar a serviço de seu deus. Deixada de lado em quarto onde não tinha nada a fazer, começou a perambular pelas cidades, porém não tinha interesse nisso, por não conhecer ninguém, achava muito chato ficar simplesmente vagando por elas. Ireth descobriu que era muito mais interessante permanecer nas florestas próximas, mas ela não se arriscava a ir muito longe.

Com a idade o bom-senso foi diminuindo até ela quase morrer num desses “passeios”. Rusty resolveu deixá-la com um amigo druida, se era pra sua filha vagar pela natureza, que pelo menos tivesse algum treinamento para entendê-la e sobreviver. O período que permaneceu com o druida foi curto e proveitoso, após aprender o básico, decidiu acompanhar um grupo de aventureiros que tinha ido pedir orientações ao seu mestre.

Acompanhou o grupo por muito tempo, embora sempre entrasse em algum tipo de conflito com o paladino que o liderava. Ele também era seu amante, o que complicava ainda mais as coisas. No intervalo de algumas missões residia em sua cidade natal junto com seu pai, que agora estava afastado de serviços mais pesados por causa da idade avançada. Visitando o templo de Obad-Hai descobriu que os clérigos haviam salvado um filhote de tigre de um grupo que estava o transportando para um nobre local, a druida se predispôs a devolvê-lo a seu habitat e ajudá-lo a se adaptar novamente. Ireth nunca mais se separou de Vieh e quando ele ficou mais velho tornou-o seu companheiro animal.

Ireth ainda fazia missões e freqüentava masmorras com seus amigos, mas devido a um grande desentendimento com o paladino, havia ignorado o chamado para a última. Agora, todos estavam mortos, haviam perecido nas mãos de um poderoso corruptor. Talvez se ela estivesse junto com o grupo eles tivessem uma chance, quem poderia dizer? Mas ela não estava... E, sozinha, sem dúvida seria uma missão suicida. Mas ela devia isso a eles. Pediu perdão a Vieh por arrastá-lo consigo, mas não tinha coragem de ir sozinha. Ireth morreu para a tenebrosa forma selvagem morta-viva que o Corruptor possuía. Agora, Ireth fez algo que nunca havia imaginado que poderia acontecer, “acordou” da morte.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Bane Reaver
T-Rex
T-Rex
avatar

Número de Mensagens : 275
Data de inscrição : 21/04/2009

MensagemAssunto: Re: Histórias e Imagens dos Personagens   Qua Abr 29, 2009 11:51 pm


Vanh


Karl


Jaelle


Hackram, lider do culto a Cyric


Hurrick, o orc mais forte que Vanh já enfrentou



Vanh sempre foi uma criança forte. Mais forte que todas as outras da sua idade. Diziam que ele recebera a saúde e os braços fortes do pai, Karl Steele.
Karl era um guerreiro dos pés a cabeça, forte, de temperamento firme. Era um aventureiro experiente, resolvia problemas onde a milícia não podia ir, caçava com seus companheiros a escória, fazia a justiça. Participou de grandes guerras e teve uma vida repleta de alegrias e glórias.
Infelizmente os anos passaram e ele envelheceu, mas viu em seu filho um sucessor digno. Portanto, desde cedo ele começou a treinar Vanh o caminho do guerreiro. Treinava com espada, machado, maça, escudo, adaga. Tudo. O pai buscou ensinar tudo que podia ao jovem guerreiro. Ensinou que o homem tem que ser forte, mas que ele também deveria possuir compaixão. Que a espada poderia matar, mas que sua função também era proteger.
Ensinou que os nobres gostam de ser bajulados, e proibiu Vanh que se deixasse ser manipulado por eles.
Karl criou uma fibra moral forte em Vanh, ele queria que o filho soubesse discernir o certo do errado, que não fosse manipulado por outras pessoas, queria que o filho fosse mais que um soldado ou mercenário. Seu filho seria um herói, com mais renome que ele jamais teve.
Vanh era um homem agora, e começou a realizar pequenas missões para o clero ou a milícia local. Tinha até seu grupo agora! Nada encheu mais de alegria o coração do velho Karl.
Foi numa dessas missões que o pior aconteceu, um grupo de malfeitores escapou e buscou vingança, eram muitos e pegaram Karl de surpresa. Ele lutou, derrubou alguns, mas não pode resistir.
Quando Vanh retornou soube do ocorrido, membros do clero e soldados se mobilizaram e um grupo grande foi formado para buscar esses vilões. Eles não tiveram chance. Foram encurralados numa floresta e não foi dada nenhuma misericórdia. Os que viam Vanh lutar se lembravam do velho Karl. Eles eram muito parecidos, ambos matavam muito bem.
Os corpos seriam abandonados na floresta, mas Vanh pediu que fossem realizados os ritos apropriados. Atitude que deixou muitos confusos, orar pelos assassinos de seu pai?

- Eles não são mais os assassinos de meu pai, são só gente morta agora, gente que matamos. Não vamos privá-los disso.

As palavras do guerreiro deixou muitos desnorteados, eles eram bandidos, mas a justiça foi feita, agora eles eram apenas mortos. Todo religioso sabe, o corpo que for abandonado sem os ritos corretos estavam sujeitos a serem reanimados como mortos-vivos, suas almas seriam consumidas pelas divindades malignas e eles nunca encontrariam a paz.
Vanh não foi forte o bastante para perdoar seus pecados, para perdoar seus corpos. Mas teria piedade para com suas almas.
Um ano havia passado e alguns ainda comentavam aquela batalha. Vanh não tocou mais no assunto, sabia que havia feito a coisa certa, mas a falta do pai, o ódio que sentiu durante aquele um ano, o fez desejar que tivesse deixado os corpos espalhados e que as almas daqueles homens fossem estraçalhadas e que eles tivessem o sofrimento eterno.
Sempre que ele pensa assim ele se envergonha, não foi isso que seu pai havia ensinado.
Vanh quase nunca ficava em casa, ele só tinha o pai. Sua mãe havia morrido no parto. Ele não tinha mais muitas razões inclusive para estar naquela cidade, ela só fazia o guerreiro se sentir mal.
Ele se tornou muito sério e um pouco introvertido.
Foi quando ele recebeu uma missão de extrema urgência, foram avistadas pessoas realizando cultos a deuses malignos proibidos em um bosque próximo. Os aventureiros foram investigar e confirmaram a suspeita, conseguindo se infiltrar, mas não foram furtivos por muito tempo e chamaram a atenção de um grupo grande.
Eles todos estavam seminus, todos homens, com panos amarrados na cintura e usando como um elmo um crânio com chifres, suas armas eram primitivas, foices, lanças e clavas na maioria.
Mas eram muitos inimigos, eles matavam um e haviam mais dois para lutar, todos lutavam, até que apareceu uma mulher. Ela avançou na direção de Vanh, ela era melhor que os outros, mas não era páreo para o guerreiro, ele a desarmou e fez menção de atacá-la, mas não conseguiu.

- Vá embora, eu não mato mulheres.

-Vanh, não seja estúpido, é uma inimiga, mate-a! – protesto de mais de um de seus companheiros de grupo.

Mas o guerreiro não a atacou, ela era perfeita demais, Vanh fitou seu belo corpo, ela era maravilhosa. Cabelo vermelho, cintura fina, tinha um pano amarrado um pouco abaixo do umbigo que lhe escondia as vergonhas, mas deixava seu peito nu. Ela também tinha um crânio com chifres na cabeça, mas ele não precisou que ela tirasse o elmo para saber que por baixo daquilo estava o rosto mais belo que ele jamais teria visto.
A mulher ficou confusa, não sabia como reagir, já estava preparada para a morte nas mãos daquele imenso guerreiro, mas ele demonstrou uma compaixão que ela nunca havia recebido. Não, não era compaixão, ela via o modo como ele a olhava, ele praticamente babava por ela, e ela também sentiu uma forte atração pelo guerreiro.
A mulher se chamava Jaelle, e era filha do líder daquele culto. Foi criada para dedicar sua vida aos preceitos de Cyric, mas de repente aquele homem a deixou abalada, ele tinha um belo rosto, era forte, alto, nunca havia se sentido tão atraente, tão desejada.
Agora começaram a aparecer orcs e ogros, o grupo recuaria, mas já tinha conseguido tudo que precisavam. Quando estava saindo ouviu a voz feminina.

-Me leve com você! – disse a mulher.

Vanh a puxou pelo braço e saiu junto de seu grupo.

-Ela vai trazer problemas! – disse o clérigo.

-Eu resolvo! Fuja! – disse o guerreiro.

Correram por um bom tempo, Vanh havia rasgado a capa que tinha presa em sua armadura e envolveu a mulher. Ela adorou o gesto, o guerreiro pôde perceber o sorriso dela e ficou sem jeito.
Quando estavam fora de perigo pararam para tomar um fôlego. A mulher num falou nada, ficando perto de Vanh todo o tempo. Ela se sentia ameaçada pelos outros, mas o guerreiro continha a todos.
Ela se apresentou e explicou o que acontecia, que aquele era um culto realizado a Cyric e que ela desde cedo fazia parte dele. Que todos os cultistas eram pessoas normais que escapavam para louvar esse deus da morte. Faziam isso sempre. Mas com ela era diferente, ela nunca teve uma vida normal, seu pai ministrava o culto, ela estava imersa naquilo até a alma, e fazia o que fazia por ordens do pai, e pelo medo que sentia dele.
Mais tarde ela disse para Vanh que quando ela viu o guerreiro sabia que não deveria estar ali, deveria estar ao lado dele. E ele a beijou. Ela fez muito bem a ele, durante a uma semana que estavam juntos o sentimento de vazio foi esquecido, e pela primeira vez após a morte do amado pai ele estava bem consigo mesmo.
Ele retornou para o templo que havia contratado o grupo e reportou o que houve, omitindo sobre a mulher. E decidiram abandonar aquele lugar, aquela cidade, aquelas pessoas. Fugir com a mulher para um lugar diferente. Esse foi o seu erro.
Quando estava viajando com ela foram atacados pelos cultistas. Vanh foi burro, deveria saber que iriam atrás dela. Eram muitos homens e humanóides, ele tentou lutar mas foi imobilizado e a mulher foi levada.
Então apareceu o homem que comandava a seita, ele não se apresentou, Vanh também não queria saber seu nome, acreditava que ele fosse o líder por seus trajes diferenciados e pela maneira como os outros o observavam.

- O que você contou sobre nós?

- Tudo!

Os homens rosnavam e estavam furiosos com as palavras do guerreiro. Ele foi solto e o aparente líder lançou uma magia nele, ele não pode esquivar, raios atingiram seu corpo fazendo jorrar muito sangue, e abrindo vários cortes em seu corpo.
Ele sentiu muita dor, se fosse outro homem desistiria, mas Vanh pegou sua espada e seu escudo que estavam no chão e se levantou, mais uma vez o cultista lançou uma magia mas Vanh conseguiu absorver parte do impacto com o escudo.
Foi quando apareceu um orc imenso, ele usava uma espada e um machado, era muito forte e Vanh estava ferido.
O orc correu sobre Vanh e começou a golpear rapidamente com sua espada e seu machado, o guerreiro estava encontrando dificuldades para defender, estava cansado. Foi quando buscando suas ultimas forças o guerreiro começou a atacar também, se preocupando menos com sua defesa.
Seu escudo foi partido, então Vanh segurou a espada com ambas as mãos e atingiu o peito do monstro, o ataque foi fundo, o orc morreria, e quando Vanh pretendia desferir o golpe final, ele viu luzes e sentiu muita dor.
Covarde, Vanh teria vencido, então fechou os olhos.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
pehdrah
Kobold
Kobold


Número de Mensagens : 23
Data de inscrição : 21/04/2009

MensagemAssunto: Re: Histórias e Imagens dos Personagens   Qui Abr 30, 2009 9:40 pm

Bem ta faltando eu. A imagem vai ficar pra depois, eu vou desenhar a coisa(apesar de não desenhar bem), e sendo que eu faço bastante coisa(o suficiente pra esgotar a minha paciência no final do dia.) então, eu peço um descontinho, fora o fato de nunca ter jogado em um PBF antes.

Okz então eu vou colocar logo a minha história

David Hosendan, nasceu numa família um pouco pobre, sua mãe(elfa), e seu pai(humano), se apaixonaram, numa relação proibida, pois o líder da tribo de sua mãe não possuía muitas confianças nas outras raças. Seu pai também não era o melhor exemplo de humano, mas ela gostava dele mesmo assim, apesar de ele se colocar em incríveis confusões. Para poder viver em paz com ela, ele fugiu com ela para bem longe. E infelizmente pouco precavido a respeito do que iria acontecer dali pra frente.
Eles viajaram para uma cidade do outro lado da onde eles estavam, passando pela capital. Consequentemente, acabaram sem renda para poder fazer tudo, mas tinham muito amor um pelo outro, amor esse que gerou um filho, que foi batizado de David Hosendan Lothuslicht. Com todo aquele amor, eles criaram bem o filho, mas eles não imaginavam o que a natureza caótica dos dois poderia gerar.
Hosendan acabou se apaixonando pela música, sem mesmo ter escutado uma melodia descente. Mas ele gostava de experimentar o som das coisas, experimentar o som da natureza. Gostava de escutar a sua voz ecoando nas paredes de seu quarto, e mais do que tudo, adorava escutar a sua mãe cantando pequenas cantigas élficas. Tudo parecia certo até então. Ele foi crescendo normalmente, como era de se esperar.
Mas em algum dia de sua vida, seu destino com a música foi selado. Um dia ele encontrou um violinista, que cativava a praça da cidade com sua apresentação. Foi o dia em que a vida de Hosendan mudou. Ele viu aquele espetáculo inteiro, e esperou pacientemente para poder conversar com aquele mágico dos sons. Ele queria aprender a fazer aquilo, queria aprender a fazer coisas tão belas quanto o que aquele homem fazia. Era um homem já velho(Que provavelmente alguém já deve ter conhecido na história), que se propôs a ensiná-lo para que ele continuasse o seu legado musical. Hosendan sabia que devia falar com seu pai e sua mãe, mas o homem não tinha tanto tempo. Então Hosendan se separou de sua família por 5 anos. Porém enviou uma correspondência(ele passou um pouco de fome depois que enviou essa carta, já que não tinha muito dinheiro.) logo depois de 2 semanas. Hosendan viveu uma vida diferente. Tendo que enganar e convencer pessoas a fazer algo por ele, e tinha de estudar a dura arte daquele homem, e se fascinava com cada coisa nova que aprendia. Hosendan era capaz de entoar mágica com suas notas! Note que ele tinha 30 anos quando isso aconteceu, afinal ele é um Meio-Elfo.
Um dia, o homem comprou o primeiro instrumento de Hosendan. Ao ver a habilidade que ele tinha com os dedos, ele comprou para Hosendan um violão. Dedos com a perícia élfica mereciam um instrumento mais complicado de se tocar. 3 dias depois, o homem morreu. E Hosendan ficou a mercê do mundo, agora ele tentava sobreviver com a sua música. e conseguia. E até teve de viajar para várias localidades, onde finalmente foi parar no vilarejo élfico de sua mãe. Onde o identificaram e o prenderam.
Mas ele não ligava, pois o deixaram com os ecos da parede. Enquanto Hosendan pudesse fazer música com algo, ele poderia sobreviver, mas não se ele fosse executado como pretendia o líder. Foram os dias em que Hosendan mais utilizou sua música e suas habilidades. Ele por 3 dias, conquistou a confiança de um outro elfo prisioneiro chamado Nichen Goldmoon. No dia da execução, antes de ser levado, ele encantou o carcereiro, pegou suas chaves e libertou vários presos, começando uma confusão ali. A confusão foi controlada, mas ele e seu amigo fugiram para longe, e tiveram de ir para a capital.
Juntos eles participaram de aventuras. Aventuras atrás de lendas que o próprio Hosendan tinha escutado de seu mestre. Depois de algum tempo descobrindo e perseguindo contos antigos. Hosendan fez alguma fama com sua música, a qual ele tinha o costuma de entoar para a taberna inteira, ou para praça inteira caso ele estivesse bêbado demais. Hosendan conseguiu depois de 1 ano, enviar outra correspondência a seus pais, e 3 meses depois e foi visitá-los. Seu pai já estava morto, mas sua mãe estava viva, e extremamente feliz por ter reencontrado o filho.
Hosendan então voltou a se aventurar com Goldmoon, que infelizmente morreu. Foram dias tristes para Hosendan, dias que ele passou ao lado da mãe. Apesar da mãe achar que ele voltaria para casa de vez, a natureza aventureira ja havia se apossado de Hosendan, e ele partiu novamente em busca de novos objetivos. Tentando elevar sua música a um novo nível.
O que Hosendan não esperava é que ele fosse acordar em um lugar diferente após ter bebido água e ter dormido. De fato Hosendan fora envenenado por alguém. Mas acordou em algum lugar diferente de onde havia dormido, um lugar com pessoas que nunca havia visto.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Bane Reaver
T-Rex
T-Rex
avatar

Número de Mensagens : 275
Data de inscrição : 21/04/2009

MensagemAssunto: Re: Histórias e Imagens dos Personagens   Seg Maio 04, 2009 12:06 am

Opa, pequena atualização na minha história, assumi o modelo Aasimar e vou descrever aqui algumas mudanças na história anterior. Em termos de aparência eu num mudo nada, só meus olhos que são num tom dourado, quase num da pra perceber, só na luz do sol! Dentro da casa tava castanho! xD

Vanh desde cedo sabia que tinha algo mais, algo que os outros não tinham. Ele enchergava perfeitamente no escuro, sabia que nenhum outro humano poderia fazer a mesma coisa! Ele também quase não sentia calor e frio! Certa vez caiu e enfiou a mão numa fogueira, mas não se feriu nem um pouco, as pessoas se assustaram, mas Karl explicou que Vanh era seu filho, e portanto especial, de uma forma como nenhum deles entenderiam. Nem mesmo Vanh, que desde cedo achou essas peculiaridades estranhas e ruins! Achava que tinha sangue de feiticeiro, e achou que isso poderia atrapalhar seu brilhante futuro como guerreiro! O pai sabia o que o garoto podia fazer, mas não se importava, dizia que o filho seria importante, e que o que ele possuia era um dom. Ensinou o garoto tudo que podia sem nunca desmotivá-lo.

Kara Thur, sua mãe era uma Aasimar, e Karl sabia perfeitamente, mas resolveu nunca contar ao filho, deixaria ele viver sua vida como um humano, fora dos conflitos maiores, deixaria ele viver uma vida humana.

Vanh cresceu sabendo que havia algo mais nele, acreditou no pai, que suas peculiaridades se davam porque seu pai era um homem poderoso e que ele herdou isso dele. Vanh se mantém reservado quanto a isso, não contaria a ninguém sobre suas capacidades, mas as usaria em uma luta se fosse preciso.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
portuga
T-Rex
T-Rex
avatar

Número de Mensagens : 155
Data de inscrição : 29/04/2009

MensagemAssunto: Re: Histórias e Imagens dos Personagens   Seg Maio 04, 2009 9:36 am

YORIK

Filho de Ivar, conde Ivar, como gostava de ser lembrado, a única coisa que superava sua maestria com a espada, era sua fama: “A PERSONIFICAÇÃO DA CRUELDADE E DO CAOS”, assim ele era descrito pelas pessoas que já sobreviveram ao seu encontro, era um homem vil e imprevisível.
E filho de Elora, uma feiticeira poderosa, escravizada por Ivar, num acordo de outrora para salvar seu feudo da destruição, em troca de sua liberdade e lealdade a Ivar, há muito tempo vivia como concubina do pai de Yorik, usando coleira e trajes humilhantes, mas ninguém ousava zombar dela, pois apesar dos desejos pervertidos de Ivar, ela era a segunda em comando e sua feitiçaria era mortal, talvez ela fosse mais mortal que Ivar, mas seu pacto de sangue impedia qualquer rebelião de sua parte.

Apesar de tudo Ivar amava Elora, amava-a desde o momento em que a viu, a sua maneira doentia é claro, mas a amava. Antes de conquistar as terras de seu feudo, antes de controlar tudo com mãos de ferro e crueldade. Quando ainda era jovem e tinha seguidores leais em busca de aventura. O pacto com Elora fora feito para proteger sua cidade natal contra invasões de monstros e vampiros, que cobravam impostos em vida humana. Assim para salvar sua cidade ela trocou a liberdade e sua lealdade, enquanto a cidade estivesse a salvo de todas as ameaças, num pacto de sangue selado com a mais alta feitiçaria. Ivar pegou 11 dos seus guerreiros mais fortes e leais e os intitulou de super novas, com a missão de proteger a cidade, formando exércitos para combater os monstros, e governá-la de forma justa, em troca prometeu todo ano levar uma remessa de ouro para eles viverem como reis e manterem seus exércitos. E caso eles desobedecessem, ele tão rápido ficaria sabendo, que antes deles pensarem em se esconder, já teriam perdido a cabeça para sua lamina.

Então Ivar e sua comitiva viajam
APÓS SEU PAI TER INVADIDO AQUELE FEUDO COM SEU BANDO E TER MATADO TODOS OS NOBRES E GUERREIROS QUE SE OPUSERAM A SUA CONQUISTA ELE SE INTITULOU O SENHOR ABSOLUTO DAQUELE LUGAR E FEZ OS SOBREVIVENTES JURAREM LEALDADE E SERVIDÃO PARA O RESTO DE SUAS VIDAS E É CLARO QUE ELES O FIZERAM, TENDO A FEITICEIRA COMO SUA CONSORTE.

Num ambiente familiar e de destruição, Yorik fora criado, com o intuito de um dia comandar o feudo e os exércitos de seu pai, ele fora treinado na arte da guerra pelo seu pai, mas Yorik tinha um diferencial de qualquer outro guerreiro, tinha os ensinamentos de feitiçaria de sua mãe. Yorik havia se tornado no que acreditava ser um guerreiro completo e versátil.

Mas eles não estavam preparados para o que estava para acontecer, os feudos vizinhos fizeram uma aliança e levantaram um exercito muito maior, 50 vezes maior que o de Ivar. Os soldados de Ivar estavam assustados, ninguém nunca tinha ousado enfrentar o temido exercito de Ivar. Pela primeira vez Yorik via o medo nos olhos dos guerreiros de seu pai. Mas seu pai não demonstra medo nem preocupação, somente raiva. Seu pai cuspia no chão amaldiçoando os malditos gananciosos.
Ivar e Yorik sabiam que apesar da inferioridade numérica ser grande, era um exercito de guerreiros treinados, ferozes e abençoados com a magia de Elora em suas armar e armaduras contra uma milícia formada por aldeões com foices, facões e espadas-pique. Ovelhas no matadouro. A batalha começa:

IVAAR VIRA PARA YORIK E SORRI-“VAMOS VER SE VOCÊ É REALMENTE FILHO DE IVAAR” YORIK SORRI TAMBÉM E DIZ-“ SÓ ESPERO QUE VOCÊ NÃO FIQUE PARA MUITO PARA TRÁS PARA NÃO VER MINHA GLÓRIA SEU VELHO MALDITO’. ENTÃO ELES IMPINAM SUAS ESPADAS BASTARDAS E PARTEM PARA CIMA DAQUELE GRANDE EXÉRCITO GRITANDO “ SEM MEDO, SEM MISERICÓRDIA” E SENDO SEGUIDOS POR TODOS OS SEUS GUERREIROS.

Apesar de serem minoria, eles acabaram com a primeira leva de inimigos facilmente, eles faziam uma boa matança, cortando, trespassando e atropelando os aldeões destreinados. E assim perdurou durante um bom tempo, no entanto 50 vezes maior, era muito, muito mesmo, até para o exercito de Ivar e seu filho. A batalha comeÇa a desvendar seu fim, e não seria promissor para o feudo de Ivar, a situação se inverte e agora Ivar, Yorik e seus soldados se encontram cercados pelo inimigo.
Ivar para e chama sua amada feiticeira mentalmente, eles trocam palavras, até serem interrompidos, alguns segundos imóvel, e os inimigos não teriam misericórdia, um som ecoa no ar, até atravessar o peito de Ivar, a lança acerta seu coração e o conde tomba.

E antes de Yorik ser sucumbido pela fúria da morte de seu pai, ele é teletransportado para uma cidade bem longe dali, uma cidade remota, uma cidade onde estaria a salvo, a cidade que sua mãe outrora vivera. Seu pai havia pedido a Elora para salvar seu filho do massacre eminente, e assim ela fez, e ainda apagou a memória de seu filho, para protegê-lo, para não buscar vingança, para não ir atrás de um exercito que se formaria de uma nova nação, nação essa que destruiria todos os traços de Ivar e formaria o reino mais cruel e poderoso de todos.

Yorik pensa q tem amesia, entra no exercito da cidade, se torna melhor e mais humano, se apaixona por uma aldeã e é traído pelos super novas que o matam numa emboscada, pois ficam sabendo da morte de Ivar e destruição de seu reino.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Furia
Velociraptor
Velociraptor
avatar

Número de Mensagens : 122
Data de inscrição : 30/04/2009

MensagemAssunto: Re: Histórias e Imagens dos Personagens   Ter Maio 26, 2009 1:34 pm

Kravian Thor




Anão
Guerreiro 6

FOR 18/+4
DES 14/+2
CON 20/+5
SAB 10/+0
INT 10/+0
CAR 10/+0

CA 25 =10|+8|+4|+2|+1|
PV 83

BBA- +6/+1
CC- +10/+5
Dano- 2d6+4

FOR+5+5=10
REF+2+2=4
VON+2+5=7

Feats
-Empunhadura Primata
-Trespassar
-Shield Fighter
-SteadFast Determination
-Dodge(+1 ca contra oponente escolhido)
-Endurance(+4 em testes contra esforço)
-Toughness(+3 Pv's)

Pericias |20|


3-Ouvir
3-Observar
3-Sobrevivencia
3-Sentir Motivação
3-Nadar
3-Escalar
2-Intimidação

EQUIPMENT/12600/13000

Mithral Full Plate(+8)10500gp
Tower Shield(+4/cover)30gp
GreatSword(2d6 19-20x2) 60gp
Amuleto da armadura Natural(+1)2000gp


-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------


Desde jovem viviam enfileirando as colunas dos anões, apegou-se ao metal e ao escudo como seus familiares, porem diferente deles Kravian via na espada uma magnifica arma.Visto com indifenrença provou seu poder quando adquiriu a maestria da espada larga, usando-a como seus companheiros usavam os machados. Usando o peso e o fio de sua lâmina para decaptar os inimigos em golpes unicos e potentes.
Logo adquiriu fama e experiencia sendo elevado a capitão de uma das companias durante as Guerras da era de Aço que duraram mais de 100 anos. Aos 150 anos Thor como lider de sua compania liderou um ataque ordenado pela nobreza, não sabia porem que sua compania era apenas uma distração para a grande massa globinoide. Ao chegar ao campo de batalha Thor finalmente entendeu, sacrificio de sua compania para que a guerra chegasse ao fim. Os anões mativeram suas posturas defensivas resistindo as investidas globinoides, porém sua desvantagem numerosa era nítida e os inimigos cegos por sua sede de sangue não desconfiaram do estratagema anão. Ao fim daquele dia de batalha os corpo dos anões pendiam em grandes estacas, como prova da vitória globinoide. Essas mesmas estacas vieram a tombar no dia seguinte quando o grande exército atingiu o centro do controle do exercito goblinoide e dera fim a guerra.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Sherikhan
T-Rex
T-Rex
avatar

Número de Mensagens : 156
Idade : 32
Data de inscrição : 22/04/2009

MensagemAssunto: Re: Histórias e Imagens dos Personagens   Qua Maio 27, 2009 12:52 am



Grande,Forte,Rude e Orgulho....assim Lars Larsson era conhecido, ele pertencia a uma tribo pequena de homens selvagens que fora completamente dizimada por orcs, sendo o único sobrevivente pois havia saído para caçar no dia. quando voltara apenas escrombos,entulhos e corpos queimados e mutilados restavam de sua antiga tribo.
Lars estava desolado,havai perdido toda sua família,mulher,filhos e amigos valorosos naquele dia. Ele construiu uma pira gigantesca onde ele poderia cremar todos os corpos de acordo com seus costumes.....ele levou três dias para construí-la......os corpos jah se encontravam em um estágio de decomposição muito avançado, não podia demorar muito com aquilo, ele deveria fazer aquela honraria a seus camaradas caídos e a sua família perdida.
Enquanto as chamas consumiam aquela pira que havia se tornado um pequeno morro de corpos e iluminava a escuridão daquela noite Lars jurou vingança, mataria o líder daquele bando de orcs ou morreria tentando.
Aqueles orcs eram desorganizados, deixaram uma trilha até o acampamento deles que até uma criança poderia seguir. Aquele seria o dia em que ele mataria muitos orcs e provavelmente morreria, mas isso não o incomodava...ele vingaria seus entes queridos, morreria de acordo com seus costumes e encontraria com sua família no outro mundo.
Os orcs estavam bêbados, comemorando o saque bem sucedido que nem perceberam a aproximação de Lars.
Aquilo havia sido a gota d'água para Lars, ele não consegue mais se controla e entra em um frenesi onde ele só enxergava sanque, nada mais importava para ele,somente a morte daquelas criaturas malditas pelo seu martelo de guerra. Lars já havia trucidado meia dúzia daqueles monstros quando finalmente havia avistado o líder do bando pois este era o que ostentava mais suas riquezas.
Lars já estava bastante ferido mas nada ficaria no seu caminho até que ele acertasse as contas com aquele orc. Quando finalmente Lars se aproxima do orc a batalha por tudo que o mantinha de pé começava. O orc era esperto e um guerreiro experiente explorou muito o fato de Lars estar ferido, deixando Lars prostado de joelhos devido aos ferimentos, mas o seu olhar ainda era pura fúria....tão feroz que fez com que o orc recuasse, oportunidade que lars não perdeu, ele ergue seu martelo e faz com que raios atinjam em cheio a cabeça do orc.
Lars conseguiu sua vingança e agora ele se encontraria com os seus e isso o fazia sorrir mesmo na hora de sua morte, quando é cravejado por várias lanças e cortado por espadas e machados.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: Histórias e Imagens dos Personagens   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Histórias e Imagens dos Personagens
Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» [Scion] A única defesa da humanidade.
» WillerLee Gerador de Histórias -v0.1
» As Melhores Histórias da Mitologia Grega
» Posto de Comércio do Vandú
» Hall de Entrada

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Lizard's Lair RPG :: Play By Forum :: PBFs :: Outlanders - D&D-
Ir para: